31 de dez de 2007

Cabriz Colheita Seleccionada Dão 2005



* Este post refere-se ao vinho do mês da Confraria Brasileira de Enoblogs. Fizeram também esta mesma degustação o Colheita de Vinhos, Le Vin au Blog, Vinho para Todos e Di vinho Viver.

Comprei este vinho no Pão de Açucar por R$21,90. Achei o preço excelente, mas era uma promoção. Não sei qual seria o preço normal.

Trata-se de um Dão produzido pela Dão Sul, que é uma das maiores produtoras de vinhos de Portugal. Pelo que andei lendo, a região do Dão tem buscado se reinventar, após anos produzindo vinhos sem muita personalidade.

No Dão, plantam-se deversas castas, sendo a Touriga Nacional a mais famosa e provavelmente a melhor delas. Este vinho é um corte de Touriga Nacional, Tinta Roriz e Alfrocheiro.

Confesso que não tinha grandes espectativas, mas fui agradavelmente surpreendido. No copo, é um vinho muito bonito, rubi escuro com reflexos cor de cereja. Poucas lágrimas, mas muito lentas.

É um vinho muito aberto, com bouquet franco e agradável. Aromas ricos de frutas escuras maduras, como ameixa e cereja, formaram a primeira impressão, seguidos de madeira suave e especiarias como cravo e pimenta preta. Tem um fundo um pouco mais adocicado, talvez de baunilha, e algo floral, que deve vir da touriga nacional. Fora tudo isso, tinha alguma outra coisa que não consegui identificar...

Na boca, é um vinho macio e de corpo médio. A acidez é muito presente e agradável, lembrando frutas frescas. Os taninos, bem controlados, enriquecem o paladar com um toque apimentado no céu da boca. Este toque picante persiste na língua, juntamente com a acidez que deixa a boca limpa, pronta para outra!

No geral, achei que é um vinho muito agradável, refrescante se servido mais frio (provamos a 18 graus), harmônico e com aromas muito ricos. Foi uma ótima pedida para estas noites de verão, acredito que acompanhe bem pratos mais leves e até peixes, graças à acidez.

Vale muito os R$21,90, pagaria até mais.

O que mais gostei - do conjunto :)

Minha nota: 4/5

2 de dez de 2007

Ainda sobre o Trivento Reserve - drops

Provei o vinho hoje, de novo, e achei que ele perdeu muito daquele tanino agressivo que senti ontem.

Talvez precisasse respirar ainda mais, mesmo tendo aberto uma hora antes de provar.

Mas mesmo assim, acho que continua sendo um vinho modesto, meio sem vida... Ainda seca a boca e manteve um gosto amargo no final, que não me agrada muito.

Bom, é a minha opinião...

1 de dez de 2007

Trivento Reserve Shiraz-Malbec 2005


* Este post refere-se ao vinho do mês da Confraria Brasileira de Enoblogs. Fizeram também esta mesma degustação o Colheita de Vinhos, Le Vin au Blog e Vinho para Todos.


Fui atrás deste vinho, para participar da degustação, e encontrei na Expand do Shopping Vila Lobos, em São Paulo. Custou R$30,94.

No copo, é um tinto escuro, um pouco sombrio, cor de framboesa olhando na luz. Os reflexos são rosados, de vinho ainda jovem. Lágrimas muito longas, lentas e espaçadas.

O aroma, de início, é vegetal, fresco, mas que é imediatamente cortado por algo tostado, mais quente e redondo. Tem algumas notas de temperos, como cerefolio, e a madeira fazendo o "fundo". No geral, não achamos que tenha uma bouquet especialmente marcante. É redondo.

Já na boca é outra história. O primeiro ataque surpreende pela força dos taninos, realmente agressivos na língua. Deixa a boca seca e faz salivar, além de ter um final meio amargo, acredito que vindo do tanino também.

O segundo gole é mais suave, deu pra perceber melhor a estrutura do vinho. Tem pouquíssima fruta, acidez também moderada, parece que ambas ficam escondidas pelos taninos. Apesar da viscosidade no copo, não tem muito corpo e a persistência é puramente do tanino.

Enfim... No geral, não agradou muito. Apesar de gostar de vinho com taninos firmes, este está muito bruto, amargando a língua, e falta brilho e vida, que viriam de mais acidez e mais fruta. É um vinho para se servir com carnes com molhos bem escuro, pratos de sabor forte. Nós provamos o vinho sozinho.

Não acho que vale os R$30,00

O que mais gostei - não sei... Acho que o aroma meio torrado, meio de ervas.

Minha nota: 2/5